SECOM - BAHIA AQUI É TRABALHO
Em cima da hora:
Família em Barbacena tem casa furtada enquanto viajava
-
  • Facebook
  • Twitter
  • Orkut
  • Feeds
  • Definições dos canais em FM beneficiam afiliadas de redes como CBN, Jovem Pan e Rádio Bandeirantes

    Levantamento realizado pelo site Tudo Rádio aponta que afiliadas de redes nacionais que estão na faixa AM já possuem seus canais em FM definidos


    Definições dos canais em FM beneficiam afiliadas de redes como CBN, Jovem Pan e Rádio Bandeirantes
    Foto: Ilustração

    A migração das rádios AMs para a faixa FM é um tema constante no setor radiofônico desde 2013 e agora o processo passa a ter um “desenho” mais definido dos cenários que existirão na faixa FM de várias cidades brasileiras. O Ministério das Comunicações tem realizado uma consulta pública e está definindo as rádios AMs que serão alocadas na faixa FM, com os novos canais sendo conhecidos nas regiões Norte, Nordeste e Centro-Oeste. O Tudo Rádio realizou um levantamento dos canais em FM que deverão abrigar as AMs que migraram, situação que deverá beneficiar várias estações, com destaque para afiliadas de redes nacionais como CBN, Jovem Pan AM, Rádio Bandeirantes, Rádio Globo, Canção Nova, entre outras.

    Uma das redes mais beneficiadas será a CBN, segundo um levantamento preliminar que mostra quais canais em FM que serão ocupados por emissoras AMs que solicitaram a migração nas regiões Norte e Centro-Oeste. Por exemplo: as afiliadas da rede “all-new” do Sistema Globo de Rádio localizadas em Cuiabá, Rio Branco e Itacoatiara (Amazonas) já possuem os seus canais definidos, segundo a Anatel. A tendência é de que esse processo também atinja outras afiliadas importantes da CBN, como a CBN AM 900 de Belém (fato que promoveria o retorno da CBN ao dial FM da capital do Pará, já que a rede contou no passado com uma outra afiliada que operava em FM – ambas da Rede Liberal).

    Em Cuiabá a CBN deverá ir de 590 AM para 98.3 FM, promovendo assim a estreia da rede jornalística no dial FM da capital do Mato Grosso. Essa mesma rede sairá dos 740 AM de Rio Branco (Acre) para operar em 107.1 FM e também dos 720 AM para a frequência 91.1 FM em Itacoatiara (Amazonas). Vale lembrar que a CBN possui a maioria das suas emissoras atuais operando em FM e a migração das AMs deverá acelerar esse processo de ida da rede para o FM em outras praças. Claro que essa situação também depende da manutenção da afiliação da CBN nessas praças relatadas acima.

    O mesmo vale para outras afiliadas de rede nessas regiões. A Jovem Pan AM conta com afiliações nas praças de Boa Vista (Rádio Folha AM 1020, que irá para 100.3 FM), Ji-Paraná (em Rondônia, através da Alvorada AM 900 que irá para 90.7 FM) e Chapada dos Guimarães (Rádio Natureza AM 760 que irá para 94.9 FM). Assim como a CBN, a Jovem Pan AM também depende da manutenção dessas afiliadas para garantir sua presença em FM. No caso dessa rede paulista, a marca criou o projeto Jovem Pan News em 2013, visando a migração das AMs para a faixa FM, além de outras parcerias em FMs já estabelecidas.

    A Rádio Bandeirantes também possui afiliadas em AM que estão com suas presenças no FM garantidas. Em Várzea Grande (Grande Cuiabá) a Rádio Industrial AM 1070 vai para 90.1 FM, enquanto a Rádio Cairi AM 1430 vai para 101.9 FM ou 103.1 FM em Porto Velho (Rondônia). Em Manaus a afiliada da Rádio Bandeirantes que opera em 1290 AM (Rádio Mar) poderá ir para os canais 93.7 FM, 95.7 FM ou 103.5 FM (canais a definir). A Rádio Globo também tem a sua afiliada de Macapá (Amapá) com a migração definida para o FM, podendo ocupar os canais 97.7 FM, 107.3 FM ou 107.9 FM – a definir). A Canção Nova AM 690 de Palmas (Tocantins) vai para 91.1 FM.

    Esse levantamento preliminar do Tudo Rádio contemplou as principais praças dos estados de Amazonas, Acre, Amapá, Rondônia, Roraima, Mato Grosso e Tocantins. Em breve a redação publicará detalhes de outros estados, praças e rádios. Os canais indicados estão passíveis de mudanças, tendo o estudo já finalizado nos estados do Rio Grande do Norte, Amazonas, Acre, Amapá, Rondônia, Roraima, Mato Grosso e Tocantins. Estão em estudo a situação nos estados de Alagoas, Piauí e Maranhão.

    A migração para a faixa FM atende a uma demanda antiga dos radiodifusores e foi autorizada no fim do ano passado pelo decreto 8.139. O principal objetivo é revitalizar as rádios AM e recuperar sua audiência, já que elas sofrem mais com a interferência no sinal. Além disso, não podem ser sintonizadas por dispositivos móveis, como celulares e tablets.

    A migração

    A migração das rádios que operam na faixa AM para o espectro das FMs visa fortalecer as emissoras de rádio que hoje são prejudicadas pelo abandono do dial AM. Esse abandono é motivado pela presença de interferências na faixa AM que acabam inviabilizando a sintonia dessas estações por parte dos ouvintes. Quanto maior o centro, mais difícil é a captação. No FM essas emissoras terão uma sintonia mais fácil e uma qualidade de áudio superior. O decreto que autoriza a migração foi assinado pela presidente da República Dilma Rousseff em 7 de novembro de 2013.

    As emissoras que operam na faixa AM e que pediram a migração para o dial FM em regiões do país com o dial menos congestionado poderão ter a sua migração efetivada de forma mais rápida. Nesse caso não haverá a necessidade de transmissão simultânea entre as faixas AM e FM durante um determinado período de tempo. Já em regiões “mais congestionadas”, devido o grande número de FMs no dial (tendo São Paulo como principal exemplo), as AMs irão para a chamada “faixa estendida”, compreendida entre 76 MHz e 88 MHZ. Desde agosto deste ano a Jovem Pan AM 620 de São Paulo realiza testes na faixa estendida, operando em 84.7 FM (saiba mais).

    Fonte: Tudo Radio Colaborações de Luiz Fernando e Carlos Massaro
     



Os comentários e textos não representam a opinião do portal; a responsabilidade pelo blog é do autor da mensagem.
Folha do Estado da Bahia
Desenvolvido por Tacitus Tecnologia