SECOM - BAHIA AQUI É TRABALHO
Em cima da hora:
GM investe US$ 500 milhões em rival do Uber
-
  • Facebook
  • Twitter
  • Orkut
  • Feeds
  • Diretor da Abert fala sobre o projeto que flexibiliza o horário da Voz do Brasil

    Segundo Luis Roberto Antonik, flexibilização deve aumentar audiência do programa


    O diretor-geral da Associação Brasileira de Emissoras de Rádio e Televisão (Abert), Luis Roberto Antonik, concedeu entrevista ao Tudo Rádio para falar sobre a flexibilização do programa A Voz do Brasil. Ele esclareceu várias dúvidas sobre o tema, que está em compasso de expectativa sobre quem será o próximo governante.

    Antonik disse que a adesão das rádios à Medida Provisória que autorizou a flexibilização da transmissão da Voz do Brasil durante a Copa do Mundo foi considerada baixa. “Consideramos a adesão baixa, apenas 33% das emissoras aderiram. Acontece que o rádio, prejudicado durante 79 anos pela rigidez da Voz do Brasil, estruturou um modelo de negócios que praticamente desconsidera o período noturno. A audiência que ao meio-dia chega a ser o dobro da televisão (200%), à noite cai drasticamente para apenas 15% da audiência da TV”, explicou o diretor.

    Além disso, Antonik também falou sobre a atuação dos deputados federais no interesse da votação. “Os deputados federais enxergam a Voz do Brasil como um arauto para a divulgação de seus feitos. Eles também acham que os ouvintes da Voz do Brasil são pessoas simples, agricultores e populações do campo. Ledo engano. O programa é escutado esmagadoramente nos grandes centros”, explicou.

    Ele disse ainda que não há nenhum projeto que vise a extinção da Voz do Brasil tramitando no Congresso Nacional. “Não há um só registro na história da Abert, em seus 52 anos, pela extinção da Voz do Brasil. O radiodifusor deseja que o programa seja adaptado aos novos tempos e flexibilizado em apenas três horas. Os tempos mudaram, especialmente, os hábitos da população. Hoje somos mais de 10 mil emissoras de rádio, 11 mil geradoras e retransmissoras de televisão, a frota brasileira de veículos chegou em 2013 a 45 milhões e a escola noturna tem 80% dos nossos estudantes”, ressaltou.

    Acompanhe a entrevista completa com o Luis Roberto Antonik clicando aqui.

    Fonte: Tudo Rádio
     



Os comentários e textos não representam a opinião do portal; a responsabilidade pelo blog é do autor da mensagem.
Folha do Estado da Bahia
Desenvolvido por Tacitus Tecnologia