Em cima da hora:
Projeto contra corrupção do MPF já coletou mais 31 mil assinaturas na PB
-
  • Facebook
  • Twitter
  • Orkut
  • Feeds
  • Pernambuco, Pará e Paraíba passam a contar com 85 canais em FM voltados a migração das AMs


    04.01.2015 23h36m
    Recomendar
    Pernambuco, Pará e Paraíba passam a contar com 85 canais em FM voltados a migração das AMs
    Foto: Reprodução

    A Anatel (Agência Nacional de Telecomunicações) incluiu 85 canais no Plano Básico de Distribuição de Canais de Radiodifusão Sonora em Frequência Modulada (PBFM), mais um ato relacionado à migração das rádios Ams para a faixa FM. Esses canais são destinados às estações migrantes dos estados de Pernambuco, Pará e Paraíba, situação possibilitada pelo Ato no 9.831, publicado no Diário Oficial do último dia 8. Ao todo, o Ministério das Comunicações encaminhou à Anatel 108 solicitações de estudos de viabilidade técnica para esses estados, porém alguns pedidos não puderam ser atendidos devido a falta de espaço no espectro FM convencional (88 a 108 MHz), sendo necessário o uso do chamado “FM estendido” (76 Mhz a 87 MHz). Acompanhe:

    Essas solicitações que ainda não foram atendidas deverão passar por um novo processo em breve, aguardando a possibilidade de viabilidade técnica no FM convencional. Conforme já noticiado pelo Tudo Rádio (fato conhecido no “Encontro da Radiodifusão”, congresso realizado pela AESP nos últimos dias 12 e 13), as cidades que apresentaram problemas de espaços no FM convencional nesses três estados foram: Belém (PA), Bayeux (PB), João Pessoa (PB), Caruaru (PE), Garanhuns (PE), Olinda (PE), Paulista (PE) e Recife (PE), totalizando 23 canais que poderão usar o FM estendido.

    Dos 85 novos canais inclusos no Plano Básico de Distribuição de Canais de Radiodifusão Sonora em Frequência Modulada (PBFM) e que contemplam a faixa de FM convencional, 41 são referentes às migrantes do Pará, 23 na Paraíba e 21 em Pernambuco. O ato 9.831 ainda excluiu 80 canais vagos no PBFM, sendo 8 no Pará, 34 na Paraíba, 28 em Pernambuco e ainda outros em Alagoas (1), Ceará (2), Piauí (1) e Rio Grande do Norte (6). Agora os radiodifusores migrantes aguardam os processos jurídicos e o valor correspondente a nova outorga em FM, esse que será informado em breve para cada estação (porém ainda sem previsão de valor e data).

    Recentemente o Tudo Rádio detalhou o processo da migração pelo Brasil, com a consulta pública referente ao Paraná (divulgada no último dia 15) e a expectativa em São Paulo (estado que deverá ter cerca de 60% dos canais migrantes operando em FM estendido): clique aqui e saiba mais.

    Fonte: Tudo Radio Com informações do “Boletim Informativo Radiodifusão – Moura e Ribeiro Advogados Associados"



  • Institucional Record Bahia 2014 - Baianos


    04.01.2015 23h35m
    Recomendar



  • PBM 2015 mostra que 80% dos pesquisados ouvem rádio pelo aparelho tradicional


    04.01.2015 23h32m
    Recomendar
    PBM 2015 mostra que 80% dos pesquisados ouvem rádio pelo aparelho tradicional
    Foto: Reprodução

    O site Tudo Rádio publicou notícia sobre a Pesquisa Brasileira de Mídia 2015 (PBM 2015). Realizada pela Secretaria de Comunicação Social da Presidência da República (Secom) e divulgada no último dia 19 de dezembro, a pesquisa mostrou também que 80% dos pesquisados ouvem rádios pelos aparelhos tradicionais. O número de entrevistados que declararam ouvir rádio diariamente passou de 21% em 2014 para 30% em 2015. Ao contrário da televisão, o hábito de ouvir rádio ocorre, principalmente, no período da manhã, em especial das 6h às 9h. A maior parte dos entrevistados (63%) afirmou que a principal razão para a escolha do meio é a busca por informação.

    De acordo com a pesquisa, 80% utilizam o rádio para ouvir a emissora preferida. Em segundo lugar aparecer o celular e o rádio do carro com 8%. Apenas 1% utilizam aparelhos MP3 para ouvir música e outro 1% ouve rádio pelo computador. Os maiores índices de ouvintes do rádio tradicional estão no Nordeste. Na Paraíba, 92% ouvem as emissoras nos aparelhos de rádio e outros 91% o fazem no Rio Grande do Norte.

    O levantamento também apontou que as FMs são as emissoras preferidas por 74% dos brasileiros, enquanto 14% declararam gostar mais das AMs. No entanto, diferenças regionais e sociais influenciam na decisão. Moradores do Sul do País ouvem mais rádios AMs (22%) do que a média nacional, assim como as pessoas com escolaridade até a 4ª série do ensino fundamental (25%). As FMs são as preferidas pelos brasileiros com ensino médio (81%) e superior (83%). Além disso, a maior parte dos entrevistados afirmou ouvir rádio enquanto realizam outras atividades, como tarefas domésticas ou quando se alimentam. Apenas 16% disseram ouvi-lo exclusivamente.

    Fonte: Tudo Radio Com informações da Secretaria de Comunicação Social da Presidência da República
     



  • Áudio: Programa Haroldo de Andrade 2 de Janeiro 2007

    Ouça a gravação do maior radialista que o Brasil já teve em sua emissora radio Haroldo de Andrade 1060 AM
    24.12.2014 00h38m
    Recomendar



  • ESPN renova direitos da NBA por nove anos

    SporTV também poderá transmitir
    24.12.2014 00h34m
    Recomendar
    ESPN renova direitos da NBA por nove anos

    Nesta terça-feira (23), a ESPN Brasil anunciou oficialmente a renovação dos direitos de transmissão da NBA, a principal liga de basquete do mundo.

    Segundo a assessoria de imprensa da ESPN, a emissora esportiva da Disney renovou os direitos por nove anos. O contrato da NBA é internacional e a renovação aconteceu com a Disney e com a Turner, que por aqui transmite o evento através do Space e licencia também para o Sports +.

    Com o mais novo acordo, a ESPN terá 10 jogos a mais na temporada regular no Brasil, 13 jogos no 1º round dos playoffs, cinco no 2º round, além da transmissão de uma final de conferência de sua escolha, e exclusividade total em todos os jogos da grande final da NBA, que pode acontecer em até sete partidas.

    O novo contrato começará a ter validade a partir da temporada 2015/2016.

    Em tempo: Mesmo com a renovação dos direitos pela ESPN, o SporTV deverá ser mais uma casa da NBA no Brasil muito em breve. Nos bastidores da emissora, a aquisição do evento já é dada como certa.

    Caso a compra seja confirmada, o SporTV transmitirá jogos da NBA em dias diferentes da ESPN. A direção do evento no Brasil entende que a transmissão pelo canal da Globosat será importante para a divulgação do esporte e da liga no Brasil, e seria um bom modo dele chegar na Globo aberta, que é o principal objetivo.

    Quando procurado para comentar sobre o assunto, a assessoria de imprensa do SporTV informa que “as negociações não foram concluídas e que ainda não há nenhuma perspectiva de transmissão dos jogos da liga americana de basquete".

    Fonte: Na Telinha
     



  • Com Copa, Globo fatura R$ 12,4 bi e fecha 2014 com 6 Records no caixa


    24.12.2014 00h27m
    Recomendar
    Com Copa, Globo fatura R$ 12,4 bi e fecha 2014 com 6 Records no caixa
    Foto: Reprodução

    A Globo vai fechar 2014 com um crescimento de 8% nas vendas publicitárias e um faturamento líquido de R$ 12,4 bilhões. Isso quer dizer que a Globo vai arrecadar só com propaganda o equivalente a mais de seis Records (R$ 2 bilhões) e 12 SBTs de São Paulo (R$ 1,1 bilhão), segundo estimativas confiáveis do mercado.

    O crescimento da Globo será um pouco maior do que a da média das emissoras de TV, que deve ficar em 7%, que por sua vez será maior do que a dos veículos em geral (6%).

    A Globo vai faturar mais por causa da Copa do Mundo. O evento esportivo concentrou verbas na emissora, principalmente no primeiro semestre, e compensou a queda nos investimentos publicitários na segunda metade do ano, provocada pela estagnação da economia e pelas eleições.

    Neste ano, a Globo faturou R$ 900 milhões a mais do que em 2013, quase um SBT. Esse valor só considera as receitas das cinco emissoras próprias da família Marinho e a participação da matriz nas receitas de publicidade nacional veiculada pelas afiliadas. Na Record, o valor de R$ 2 bilhões também não considera as afiliadas. A receita inclui mais de R$ 500 milhões arrecadados com a venda das madrugadas para a Igreja Universal do Reino de Deus. Os dados do SBT se referem apenas à cabeça-de-rede.

    Para 2015, o cenário é desanimador. Os executivos mais otimistas da TV prevêem um crescimento semelhante ao da inflação, em torno de 6%. Por isso, Band e Record já começaram a cortar gastos. O SBT vai evitar investimentos de risco e a Globo tem sido cautelosa em seus orçamentos.

    Fonte: Noticias da TV
     



  • Rádio Iguatemi, Super Rádio AM e Iguatemi Prime FM envolvidas em novas mudanças


    24.12.2014 00h25m
    Recomendar
    Rádio Iguatemi, Super Rádio AM e Iguatemi Prime FM envolvidas em novas mudanças
    Foto: Divulgação

    A Grande São Paulo acompanhou novas mudanças no dial AM, promovidas pelas emissoras da Rede Mundial. Na verdade a nova movimentação devolveu as rádios Super Rádio AM e Rádio Iguatemi para as suas frequências originais, além da manutenção da Iguatemi FM 96.5 na Grande Campinas. Em resumo: São Paulo volta a contar com a Super Rádio AM 1150 (emissora que havia deixado a sintonia no final de novembro ) e a marca Rádio Iguatemi é novamente acompanhada em 1370 AM da capital e 1520 AM de Mogi das Cruzes, depois de cerca de dois dias de alterações. Outra emissora que deverá apresentar novidades será a Iguatemi Prime FM 98.1, cotada para deixar a sintonia.

    Com a nova mudança a Super Rádio AM retorna para a sua frequência original, após um breve período da 1150 AM retransmitindo a programação da Rede Top FM (projeto liderado pela Top FM 104.1, também de São Paulo). É importante lembrar que a programação nacional da Top FM (voltada para as FMs instaladas fora da capital paulista) é alinhada com o perfil da 104.1 FM, mas com outro estúdio gerador. No final dessa semana a Super Rádio AM retomou as suas atividades em seu canal original, após ter deixado a frequência no final de novembro e ter sido indicada para operar através dos canais da Rádio Iguatemi em São Paulo (1370 AM e 1520 AM).

    Outra mudança que está prevista para São Paulo e que envolve mais uma marca da Rede Mundial é a saída da Iguatemi Prime FM 98.1 a partir de 1º de janeiro, porém o grupo não confirma oficialmente essa informação. Na última sexta-feira (19) o Tudo Rádio publicou uma matéria que destaca o amplo alcance de sinal da Iguatemi Prime em 98.1 FM, estação com transmissão a partir da Serra do Japi (Jundiaí) e que cobre as regiões metropolitanas de São Paulo, Campinas e Sorocaba, além das regiões de Piracicaba e Leste Paulista (saiba mais). Segundo informações extra-oficiais, a 98.1 FM passará a contar com uma grade religiosa/evangélica a partir de janeiro de 2015 (não sendo algo inédito na trajetória dessa estação). Também não foi informado se a Iguatemi Prime FM será deslocada para outro canal do grupo.

    Fonte: Tudo Radio
     



  • Bocão assume programa Balanço Geral Tarde, pela Record Bahia

    Programa jornalístico estreou às 12h desta segunda-feira (1º), juntamente com a nova grade de programação da emissora
    01.12.2014 19h49m
    Recomendar
    Bocão assume programa Balanço Geral Tarde, pela Record Bahia
    Foto: Gilberto Júnior

    O comunicador baiano Zé Eduardo, o Bocão, acaba de assumir a apresentação do Balanço Geral Tarde, da Record Bahia. O programa jornalístico estreou nesta segunda-feira (1º), às 12h, e integra a nova grade de programação da mais antiga emissora do estado.

    Diferentemente do extinto ‘Se Liga Bocão’, o Balanço Geral Tarde está diretamente ligado aos departamentos de jornalismo de Salvador e de São Paulo, levando ainda mais informação com credibilidade e prestação de serviço para a população baiana. Além do novo cenário, o programa também passa a ser transmitido em HD, tecnologia que proporciona melhor qualidade de imagem e som. O Balanço Geral Tarde vai ao ar de segunda a sexta-feira, sempre ao meio dia.

    “O Bocão já tinha uma marca de quase dez anos. Era um programa voltado pra área policial. e agora temos outros temas dentro do Balanço Geral. Vivi quase 40 dias de expectativa, de frio na barriga, mas resultado do ibope hoje foi fantástico”, avaliou Zé Eduardo.

    SOBRE ZÉ EDUARDO: Zé Eduardo, popularmente conhecido como Bocão, iniciou a carreira em emissoras de rádios na capital baiana, em meados de 1988. Fez história nas rádios Bahia, Cultura, Bandeirantes, Itaparica, FM 104 FM e Transamérica FM. Nas quatro primeiras, era repórter e apresentava programas esportivos. Nas emissoras 104, Transamérica, Sociedade e Itapoan, fez programas de denúncia popular, com caráter policial.

    Já na televisão, Zé foi repórter esportivo na TV Itapoan, de 1989 a 1992, e na TV Bahia, de 1992 a 2000. Na TV Aratu, de 2000 a 2007, apresentou um programa de entretenimento e um tempo depois o formato do espaço para um programa popular e policial. Chegando a ter dois espaços diários na emissora, o Bom Dia Bocão (matutino) e o Se Liga Bocão (vespertino). Sua história na Record Bahia começou em 2007 e continua até hoje.



  • Pesquisa do Ibope Media aponta que meio rádio alcança 90% da população no Brasil

    Levantamento mostra o consumo de rádio entre os brasileiros
    16.11.2014 20h28m
    Recomendar
    Pesquisa do Ibope Media aponta que meio rádio alcança 90% da população no Brasil
    Foto: Reprodução

    O Ibope Media, por meio do Target Group Index, realizou um levantamento sobre o meio Rádio em todo o Brasil. De acordo com a pesquisa, 90% da população brasileira é alcançada pelo veículo, sendo que 70% do universo pesquisado utiliza o meio de comunicação como forma de entretenimento.

    O Ibope Media apresentou em infográfico os hábitos de consumo de rádio entre os brasileiros. De acordo com o Target Group Index, um dos destaques da pesquisa foi referente ao gosto musical. A música sertaneja é o ritmo preferido da população (50%), seguido pela MPB (41%).

    O levantamento também mostrou por quanto tempo os ouvintes ficam ouvindo rádio. De acordo com a pesquisa, o consumo médio de rádio entre os brasileiros é de 3 horas e 51 minutos. Além disso, o horário de maior alcance do meio é às 10h da manhã, onde há o pico de 64% da população atingida. O local onde mais se ouve rádio é em casa, com 53%. Entre os pesquisados, 10% ouve no carro e 5% no trabalho.

    Na pesquisa que apontou que 70% dos pesquisados ouvem rádio como forma de entretenimento, 50% consumo o veículo para ouvir notícias. Na pesquisa, 55% confiam nas informações que são veiculadas pelos programas jornalísticos das rádios brasileiras.

    A pesquisa também mostra os demais veículos que são usados simultaneamente ao rádio. A internet é a mais usada pelos ouvintes, com 18%. Já 16% ouvem o rádio assistindo televisão, 13% lendo jornal e 12% lendo revistas.

    Os dados foram coletados de julho de 2012 a agosto de 2013.

    Com informações do Tudo Radio Fontes: EASYMEDIA4 – Radio Recall – 05h/24h – tds dias – 13 mercados – Universo 54.690.754 – Jul a Set/2014. Alcance máximo - Alcance diário –Tempo Médio Individual - Alcance 2 dias. TARGET GROUP INDEX - | Ano 14 onda 1 + onda 2 - 20.736 entrevistas - jul12-ago13.
     



  • Levantamento da Abert aponta que 1400 rádios AM solicitaram migração para FM


    16.11.2014 20h19m
    Recomendar
    Levantamento da Abert aponta que 1400 rádios AM solicitaram migração para FM
    Foto: Reprodução

    Cerca de 80% das emissoras de rádio solicitaram a migração do AM para o FM. De acordo com dados da Abert, o número representa mais de 1,4 mil rádios. O prazo para o pedido de migração foi encerrado na segunda-feira (10). A região que registrou maior número de rádios foi o Sul e, o Centro-Oeste, foi a região que teve o menor percentual de solicitações.

    Na região Sul, 85% das emissoras AM solicitaram a migração. Em seguida vem a região Sudeste com 79%, Nordeste com 68%, Norte com 65% e Centro-Oeste com 64%. As emissoras que prestam atualmente o serviço de OM local e não solicitaram a migração terão o serviço extinto após o final da licença da outorga, sem a possibilidade de renovação. As rádios que contam com abrangência regional e que não solicitaram a migração, permanecerão no dial.

    Rio Grande do Norte, Alagoas, Piauí, Maranhão, Mato Grosso e toda a região Norte, exceto o Pará, que ainda está em consulta pública, já tiveram os canais inseridos no plano básico de FM para as emissoras que solicitaram a migração. Está em andamento a consulta pública para o plano básico de FM nos estados do Ceará, Bahia, Sergipe, Paraíba, Pernambuco e Mato Grosso do Sul.

    Após a definição dos canais FM destes estados, as emissoras deverão apresentar toda a documentação exigida para a habilitação e esperar a divulgação por parte do Ministério das Comunicações do valor que será cobrado para a adaptação da outorga. Nas localidades com espectro cheio, principalmente em grandes cidades, as emissoras terão de aguardar a liberação do espaço que vai ocorrer com a digitalização da TV, quando os canais 5 e 6, hoje ocupados pela TV analógica, serão desocupados e destinados à faixa FM.


    Com informações do Tudo Radio
     



  • “Mesmo com novos projetos, o Acorda Cidade segue em frente”, garante Dilton Coutinho

    Com mais de 30 anos atuando na comunicação, Dilton Coutinho não acumula somente experiências nas várias vertentes da área. Ele continua inovando e agora depois de se consolidar no jornalismo on-line, o comunicador parte para o campo do rádio FM, onde comanda atualmente dois programas nas rádios Transamérica e Jovem Pan. Com esta inovação, os bastidores do rádio feirense “fervilharam” de especulações sobre o fim do Acorda Cidade e a saída da Rádio Sociedade. Em entrevista ao jornal FOLHA DO ESTADO, Coutinho afasta esta possibilidade, além falar sobre seus novos projetos. Confira:
    08.11.2014 09h26m
    Recomendar
    “Mesmo com novos projetos, o Acorda Cidade segue em frente”, garante Dilton Coutinho
    Foto: Gleidson Santos / Jornal Folha do Estado

    Reginaldo Júnior: Depois de 18 anos do Programa Acorda Cidade, o senhor está com um novo desafio na Radio Transamérica com o TransNoticias e na coordenação do Jornal Jovem Pan Feira de Santana. Como foi que surgiu o convite?


    Dilton Coutinho: Na realidade eu já estava, não diria acomodando, mais como ideia de sair da zona de conforto que a gente já está, como a audiência, equipe boa fazendo o trabalho bem aceito pela sociedade. E na minha concepção era preciso dar uma mexida, uma melhorada no formato do Acorda Cidade da Radio Sociedade, e já vínhamos discutindo isso nas reuniões, inclusive aberto a ideias com eles, como uma nova formatação do programa que estava me incomodando. Já o formato, é o mesmo há 18 anos e precisa de uma mexida, mas não muito para as pessoas não estranharem. Aí de repente eu tinha essa vontade de fazer um programa em uma FM à tarde, para fechar a tarde, por que a gente entende que as pessoas pela tarde precisam ter informação. Nesse intervalo, antes das mudanças acontecerem no acorda Cidade, o doutor Antônio Lomes, Presidente do Grupo Lomes de Radiodifusão, que tem as emissoras em Feira de Santana, Transamérica e Jovem Pan; e está vindo mais uma, ganhou mais uma concessão de que a rádio é de Amélia Rodrigues, mais que por causa da Região Metropolitana, o estúdio vai ser implantado em Feira de Santana, então eu recebi um ligação dele, para fazemos uma reunião pois ele precisava conversar comigo. Chegando lá ele apresentou o projeto, o horário estava ficando vago das 17 às 19 horas, e o Jornal Jovem Pan Local era pela manhã, perguntou se eu tinha interesse em tomar conta desse dois horários.


    Eu refleti um pouco e disse não, não quero, estou tranqüilo, vou tocar meu projeto Acorda Cidade. Ele falou para pensar direitinho e voltar por que é tudo muito rápido o horário estava vago e era preciso preencher. Dois dias depois fizemos uma nova reunião e evoluímos para uma parceria, aceitei o desafio e o convite, estamos começando, o da tarde eu estou apresentando na Transamérica com Juvenal Martins e Laine Cruz, um fator importante pois estou aproveitando a própria equipe do Acorda Cidade e pela manhã na Pan o Ney Silva apresentando o programa ao lado de Danilo Freitas, estudante de jornalismo que já atua em algumas atividades da Rádio Sociedade AM mesclado a juventude com a experiência. A receptividade ta muito boa, eles estão fazendo um programa que já vem com um formato estabelecido da rede. É mais ou menos essa idéia e agora é inovar conversando com alguns amigos, explicando que ainda não estava no momento de me aposentar e ainda posso oferecer algo para o rádio, tentando fazer um formato diferente não ser a reprodução do Acorda Cidade.


    RJ: Qual é a diferença do Jornal Jovem Pan, do TransNoticias e do Acorda Cidade?


    DT: O Acorda Cidade é formato no apelo do jornalismo comunitário e informativo ao mesmo tempo, onde temos a oportunidade de trazer a comunidade para discutir seus problemas fazendo um intermédio com as autoridades e com ênfase no setor policial, no sábado temos uma novidade que é o Acorda Saudade, com Ed Santos para dar um “quebra”. No Transnoticias estou tentando implantar uma filosofia diferente, com mais informação do dia o que está acontecendo no Brasil e no Mundo com entrevista diária sempre com assuntos que interessam à comunidade e colocamos uma voz feminina para da leveza à tarde.
    Eu estou tentando implantar uma nova filosofia de fazer um programa mais leve, não damos muito destaque ao setor policial, porque ele já esteve presente pela manhã, às 18 horas colocamos uma música para dar uma relaxada e dando um toque no esporte, mais leve mais em perder o foco da noticia que é o mais importante. Eu também estou tentando implantar uma leveza em meu estilo, mais já estão havendo reações, as pessoas acostumadas com o Dilton mais ativo estão querendo eu implante na Transamérica, estou fazendo uma avaliação de mudança também de apresentação. O Jornal Jovem Pan local tem mais um formato news com poucos comentários e mais informações, que já é um modelo que vem da rede. E todo conteúdo dos programas são compartilhados com os grupos.


    RJ: E como foi a primeira semana do programa, que foi apresentado direto do shopping?


    DT: Muito boa a receptividade, essa idéia do Rafael Lomes que primeira ação aconteceu a campanhas em outdoor focado na estréia dos programas e segunda ação foi tira a radio do estúdio e colocar no shopping para da visibilidade, movimentar a estréia trazendo grandes entrevista, inicialmente pra discutir o trânsito, que é um dos grandes problemas da cidade, levamos o Francisco Junior discutimos o trânsito com o repórter na rua, no segundo dia levamos o governador eleito Rui Costa, depois o prefeito José Ronaldo e fechamos a semana no shopping bem.


    RJ: No Transnoticias existe também um quadro para as mulheres?


    DT: Eu criei um quadro com as meninas o “Cá entre Nós”, que está sendo um sucesso, as meninas que trabalham no site elas comandam um programa, eu saio de cena, discutindo vários assuntos principalmente relacionados às mulheres.


    RJ: Quando surgiu a notícias da sua ida para o comando do Transnoticias e a coordenação da Jovem Pan, surgiram os boatos do fim do Acorda Cidade na Rádio Sociedade AM, como o senhor absorveu essa história e como está administração dessa situação?


    DT: Inclusive houve a sugestão da direção da Transamérica para colocar o nome Acorda Cidade, mais não iria ficar legal para a tarde e não poderia colocar Dorme Cidade, o Acorda Cidade ficou na Rádio Sociedade e criamos o TransNoticias relacionado até o nome da rádio. Inicialmente esse tipo de informação veio com naturalidade, as pessoas poderiam até imaginar o fim do Acorda Cidade na Rádio Sociedade mais não, inclusive o FreiHelenilson administrou isso muito bem por que aqui o trabalho continua o mesmo, o compromisso de fazer um bom trabalho, a rádio Sociedade já pediu migração para o FM também, Daí em diante não sabemos como será o processo, mais o certo e que a rádio é um prefixo forte e não teria sentimos de deixamos um programa já consolidado para começa um trabalho novo. Então o Acorda Cidade continua solido com o propósito firme de fazer um jornalismo comunitário, apenas estamos prospectando novos negócios dentro da empresa e do meu segmento que é o rádio jornalismo


    RJ: Falando sobre o rádio, o senhor falou que a Rádio Sociedade já pediu a migração para FM, que é considerado um dos maiores avanços no rádio nos últimos 50 anos em nosso país, mais será que aqueles ouvintes acostumados com o AM vão fazer essa migração?


    DT: É evidente que vamos encontrar algumas dificuldades em termos de adaptação, os profissionais vão ter que se preparar um pouco melhor porque vamos ter que passar mais conteúdo. O rádio AM sobrevive hoje como o rádiojornalismo, você pode observar que todas elas estão focadas no jornalismo, o FM está seguindo a mesma forma, a mesma linha. O rádio FM vai se transformar e você já observa isso no Brasil todo, em rádios mais informativas por que ou você faz uma segmentação como a Jovem Pan em Feira de Santana que tem seu público definido essa emissora vão continua sobrevivendo, as outras eu entendo que com a nova tecnologia, por que agora você chegar aos automóveis os Pen Drive estão lá cheios com 200, 300, 1.000 músicas dentro do seu gosto, mais se você quer ouvir uma notícia não tem dentro do pen drive vão ter que sintonizar em uma emissora, acho que vai ser uma tendência natural ou elas segmentarem ou irem para o jornalismo porque acho que o caminho é esse.


    RJ: Além disso, hoje tem a questão das redes sócias, dos aplicativos que todas as rádios têm criar o seu.


    DT: Isso tem de avançar na tecnologia, o celular, por exemplo, o AM tem essa dificuldade, a Samsung fez um, mas não avançou. O FM não, você entra a qualquer hora a questão da mobilidade o site é acessado do celular o rádio a mesma forma e precisamos acompanhar essa evolução que vem com a migração, que não tem retorno vai ter que migra e a partir daí as emissoras decidirem seus conteúdos. O FreiHelenilson já deu entrada no projeto da Rádio Sociedade, agora o projeto radio vai ser qual? Isso que vai ser discutido, talvez ouvindo o público, ouvindo as pessoas que fazem rádio mais ainda existe uma interrogação qual a linha a rádio vai tomar depois da migração.


    RJ: Qual a sua opinião sobre a flexibilização da “Voz do Brasil”, projeto tão discutido por anos, que aconteceu em partes durante a copa do mundo de 2014, pois muitas rádiosse sentem prejudicadas em cortar sua programação em um horário de grande pico e procuram os ouvintes?


    DT: Existem muitas coisas nesse Brasil que precisam repaginar, modelo eleitoral, código penal que é atrasadíssimo e dentro desse contexto a Voz do Brasil, não se permite mais essa espécie de ditadura, “Olha você tem de entra 7 horas com a voz do Brasil”, não pode flexibilizar isso. Tornar obrigatório em qualquer horário, não se discute isso mais que seja flexível a depende do comprometimento de horário da emissora, eu acho que tem ser flexível a emissora ou a lei determinar até tal hora, por que às vezes as pessoas podem querer colocar na madrugada. Mas que tenha a flexibilidade, pois precisamos avançar o mais rápido possível.

    Por: Reginaldo Júnior

    Correção: Alana Nascimento

    Edição: Cristiano Alves

    Foto:  Gleidson Santos / Jornal Folha do Estado



  • Sheherazade assina contrato com a Rádio Jovem Pan

    Âncora continua no SBT
    08.11.2014 09h22m
    Recomendar
    Sheherazade assina contrato com a Rádio Jovem Pan
    Foto: Divulgação / SBT

    Conhecida nacionalmente por ser apresentadora do "SBT Brasil", a jornalista Rachel Sheherazade acaba de aceitar um novo desafio em sua carreira.

    Segundo o colunista Flávio Ricco, Rachel assinou contrato com a Rádio Jovem Pan, onde será uma das comentaristas fixas do tradicional "Jornal da Manhã", apresentado por seu colega de bancada, Joseval Peixoto.

    Sheherazade será uma das comentaristas do programa, juntamente com os jornalistas José Nêumanne Pinto e Reinaldo Azevedo. Ou seja, ela fará no rádio o que lhe foi tirado na televisão. Rachel voltou ao Brasil recentemente, depois de tirar alguns dias de férias nos Estados Unidos, e no seu retorno acertou os últimos detalhes do contrato.

    A sua contratação ainda não está confirmada, porém, algo oficial não deve demorar muito, já que chamadas deverão ser feitas a partir deste fim de semana.

    A jornalista continuará, tranquilamente, ancorando o principal telejornal do SBT, que vai ao ar diariamente a partir das 19h45. A intenção da Pan é trazer cada vez mais polêmica e repercussão para o programa, que é líder de audiência nas manhãs de São Paulo há 15 anos.

    Rachel Sheherazade provoca muita polêmica desde começou a trabalhar em rede nacional, em 2010. Neste ano, devido a um comentário polêmico sobre Justiça com as próprias mãos, a jornalista parou de dar opiniões no "SBT Brasil".

    Fonte: Na Telinha



Os comentários e textos não representam a opinião do portal; a responsabilidade pelo blog é do autor da mensagem.
Folha do Estado da Bahia
Desenvolvido por Tacitus Tecnologia